PORTES GRATUITOS PARA TODO O TERRITÓRIO NACIONAL (VIA CTT - Livros)

Declaração de Emergência Climática

Concordamos com os princípios e objectivos da TOURISM DECLARES CLIMATE EMERGENCY e comprometemo-nos com os seguintes aspectos:

  1. Já elaborámos o nosso Plano de Emergência Climática, mas iremos efectuar as alterações e as actualizações necessárias, com o objectivo de reduzir significativamente as suas emissões de CO₂ até 2030
  2. Divulgar a Declaração de Emergência Climática, bem como os dados de monitorização do próprio Plano
  3. Aceitar a indicação do IPCC que estabelece a necessidade de que a redução das emissões globais de carbono se situe em 55% dos níveis de 2017, objectivo a atingir até 2030
  4. Integrar e participar activamente nesta rede colaborativa, motivando outras entidades a fazer a sua Declaração e partilhando as melhores práticas
  5. Reconhecer e defender a necessidade de mudança na indústria turística, de forma a acelerar a transição para um turismo com muito menores emissões de carbono

 

 

 

 

Plano de Emergência Climática

 

FUNDAMENTAÇÃO COM COMPROMISSOS

Desde a nossa fundação (2012) que enunciámos e passámos a respeitar 3 compromissos distintos:

  • Compromisso Territorial - a nossa prioridade são os destinos do interior de Portugal
  • Compromisso Social - partilha de negócio com os agentes de cada destino turístico
  • Compromisso Ambiental - compensação da nossa pegada ambiental

 

 

O QUE NOS FAZ QUERER IR MAIS LONGE?

Fomos crescendo, mas, em simultâneo, a crise climática agravou-se.

Assumimos a nossa responsabilidade enquanto empresa geradora de conteúdos para informação, divulgação e promoção de territórios, dos seus agentes e dos seus produtos.

Aceitamos a voz da ciência e por isso concordamos com a indicação de necessidade de agir já para enfrentar e inverter os factores que contribuem para a crise climática, no prazo de uma década.

A situação de emergência climática com que o planeta se defronta exige que cada um, cada organização e que cada colectivo nacional se saibam posicionar para se salvaguardar e para enfrentar uma crise climática que, no trajecto actual, irá hipotecar irreparavelmente o futuro das gerações vindouras.

 

 

AO QUE VAMOS?

Continuar a trabalhar para que, num futuro breve, tenhamos um turismo sustentável no planeta

 

Quem pretendemos influenciar com o nosso exemplo?

  • As opções dos consumidores e dos profissionais do turismo, utilizadores dos nossos produtos
  • Outros parceiros actores na produção de conteúdos para informação e orientação da prática turística
  • Entidades representativas e decisoras na indústria do turismo e não só, de nível superior

 

Quais as grandes linhas?

  • Manter e desenvolver os compromissos assumidos aquando da fundação da empresa
  • Reduzir consumos, reutilizar matérias, reciclar o não reutilizável
  • Descarbonizar, tanto quanto possível, a actividade da empresa
  • Instituir a opção “zero plásticos”
  • Praticar e apelar a um consumo local, que beneficie as pequenas economias locais

 

 

O QUE JÁ ESTAMOS A FAZER?

No domínio da organização e trabalho interno

  • Toda a equipa Papa-figos está, há vários anos, em regime de trabalho a partir do seu próprio poiso, evitando deslocações diárias casa <-> posto de trabalho
  • Desde 2018 que todas as reuniões da equipa Papa-figos ocorrem online utilizando as redes de comunicações móveis e as várias aplicações e plataformas de trabalho e diálogo, assim anulando as viagens físicas para realização das mesmas
  • A equipa tem conseguido consumir menos que uma resma de papel por ano para impressões correntes internas destinadas à produção e edição de guias
  • O arquivo da empresa é digital, poupando bens de consumo, espaço físico e evitando impossibilidades de acesso
  • A equipa reduziu o consumo de bens perecíveis e apostou na reutilização de materiais, apenas enviando para reciclagem o que antevê não reutilizar

  

No domínio da produção de conteúdos

  • O número de deslocações nos territórios foi reduzido, promovendo-se a articulação da actuação e das deslocações da equipa
  • Têm-se procurado conjugar trabalhos distintos que ocorram numa mesma região, reduzindo o número de deslocações
  • Sempre que possível, percorrem-se localidades a pé e frequentemente se utiliza a bicicleta nos trabalhos de terreno, nomeadamente em trabalhos com percursos de média dimensão (10 a 30km) sujeitos a inúmeras paragens

 

No domínio da impressão

  • Os nossos guias de destinos apenas utilizam papel misto (reciclado e virgem, cuja pasta celulósica é oriunda de espaços com certificação de gestão florestal sustentável FSC)
  • A embalagem dos guias impressos deixou de ser efectuada com recurso a plástico e passou a utilizar embalagens de cartão, iniciativa implementada com o nosso parceiro de impressão

 

No domínio da distribuição

Optámos por estandardizar os nossos envios para os nossos revendedores: o empacotamento / embalagem de guias que recebemos da gráfica é o que expedimos para eles; evitamos novas embalagens e o produto segue na boa protecção de uma embalagem de cartão

 

No domínio da compensação da nossa pegada ambiental

Devemos ser das poucas entidades empresariais (que não agro-florestal) a voluntariamente assumir o desenvolvimento de um projecto de conservação de património natural, com o qual também está a compensar local e directamente a sua pegada ambiental

 

 

O QUE MAIS VAMOS FAZER?

No domínio da organização e trabalho interno

Registar mensalmente a pegada ambiental resultante da produção de cada guia (consumo de combustíveis)

 

No domínio da produção de conteúdos

Reduzir as emissões provocadas pelos trabalhos de produção, orçamentando e executando cada trabalho com percentagens mínimas na rubrica “combustíveis”, própria para o efeito

 

No domínio do plano editorial

Adaptar e apresentar os futuros guias tendo em vista propor e estruturar para os visitantes:

  • práticas mais activas de descoberta de destinos
  • práticas de turismo de natureza que valorizem a biodiversidade e a geodiversidade
  • uma mobilidade turística mais sustentável e com menores emissões de carbono, nomeadamente estruturando o binómio comboio e/ou autocarro com a bicicleta
  • cadeias curtas de consumo de produtos locais de qualidade

 

No domínio da impressão

Manter a publicação de guias em suporte papel, apoiando e valorizando a gestão certificada de florestas e enquanto forma de o público também participar no armazenamento de carbono em bem utilitário, retirando-o da atmosfera

 

No domínio da comunicação e marketing

  • Utilizar os nossos canais de comunicação (website, Facebook, Instagram, newsletter mensal) para sensibilizar os turistas para a escolha de destinos turísticos sustentáveis e para a prática de um turismo responsável
  • Divulgar agentes turísticos parceiros, entidades e individuais, que protagonizem práticas que enfrentem e contribuam para inverter a crise climática

 

 

METAS DESTE COMPROMISSO A PARTIR DE 01.01.2021

1% passará a ser o encargo médio de gastos com combustíveis fósseis, no seu orçamento global de cada trabalho

TODOS os guias a publicar apresentarão conteúdos adaptados e indicativos para práticas turísticas sustentáveis          

1m² de floresta autóctone por cada exemplar de cada guia publicado, como compensação da pegada ambiental

 

 

Vamos lá! Por um turismo mais sustentável.

×